Cafeína Faz Mal

A capacidade de a cafeína causar problemas de saúde a longo prazo tem sido objecto de inúmeros debates. Muitas pessoas dizem que cafeína faz mal, e muitos estudos tentaram averiguar se a cafeína aumenta o risco de doença cardíaca, mas não se chegou a provas concludentes.


No entanto, existem pessoas em que está contra-indicado o consumo de cafeína, como as que sofrem de úlceras, hipertensão arterial e anomalias do ritmo cardíaco, além das que sofrem ataques de pânico. A cafeína também não é aconselhável a quem toma determinados medicamentos, como antidepressivos e tranquilizantes. Atenção: o café expresso preparado em cafeteira de êmbolo ou por infusão pode aumentar os níveis de LDL (proteína de baixa densidade, o colesterol «mau»), o que pode originar um ataque cardíaco. Parece que os cafés instantâneos e de filtro não têm esse risco.

Para as mulheres, a cafeína pode trazer outros problemas: faz que o organismo excrete cálcio mais rapidamente, e se a ingestão de cálcio pela mulher for já inferior à ideal, bastam duas chávenas de café por dia para aumentar o risco de osteoporose. Isto não acontece se a mulher consu-mir a dose diária recomendada (DDR) de cálcio (700 mg e, depois dos 50 anos, 800 mg). A cafeína pode ainda diminuir a fertilidade da mulher e aumentar o risco de aborto; as grávidas que consumam mais de 300 mg diários correm riscos acrescidos de ter um bebé com peso a menos.

O consumo excessivo de cafeína nos 10 dias anteriores à menstruação pode agravar a síndroma pré-menstrual (SPM). Por outro lado, aumenta a eficácia dos analgésicos, pelo que alguns medicamentos para a SPM contêm doses elevadas de cafeína. Provas recentes sugerem que a cafeína talvez não agrave os sintomas da doença fibroquística da mama, como se chegou a pensar.


Se é viciado em cafeína e quer cortar o vício, faça-o gradualmente, pois a privação súbita pode causar dores de cabeça intensas que duram dias. Em certas pessoas, a privação de cafeína pode também causar depressão, indolência, ansiedade, náuseas e vómitos. Os sintomas habitualmente começam dentro das 24 horas seguintes à última tomada e podem durar uma semana ou mais. Podem igualmente experimentar-se sintomas de privação se se tomarem com frequência medicamentos com teor de cafeína e depois se parar subitamente.

Dores de cabeça e cafeína

Não tome a sua chávena de café matinal, e será provavelmente vítima de uma terrível dor de cabeça, resultado habitual da privação de cafeína. Por outro lado, tomar uma dose de cafeína com aspirina, paracetarnol ou ibuprofeno parece aliviar mais rapidamente – e durante mais tempo uma dor de cabeça de tensão ou uma enxaqueca. Porquê? A cafeína aumenta a eficácia dos analgésicos, razão por que está associada a muitos fármacos desse tipo de venda livre. Mas também combate as dores de cabeça por si só. Os especialistas pensam que a cafeína provoca vasoconstrição, reduzindo assim o fluxo de sangue, o que, por seu lado, alivia a dor de cabeça latejante. Mas não abuse: ingerir cafeína em excesso (bastam 500 mg durante alguns dias) pode desencadear como reacção uma nova cefaleia que se prolongue durante uma semana.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*