Dieta Crudívora

Comer alimentos crus, como sushi, os­tras e bife tártaro, representa um risco acresci­do de doenças transmitidas pelos alimentos.


Muitos alimentos, incluindo a carne, o marisco, a fruta e os legumes, podem albergar microrganismos causadores de doenças. No entanto, eles só se tornam perigosos para a saúde quando são mal preparados ou cozinhados.

Cozinhar os alimentos muito bem e a temperaturas adequadas destrói a maioria dos organismos nocivos. Claro que os alimentos crus não são cozinhados. No caso de produtos como fruta e vegetais, lavá-los muito bem em água corrente (utilize uma escova para os legumes e deite fora as folhas exteriores) minimiza a exposição aos micróbios que causam doenças. Mas os alimentos de origem animal crus não se tornam seguros apenas por lavagem, e as bactérias que eventualmente contenham podem provocar sintomas, como náuseas, cólicas e diarreia. Essas doenças são especialmente perigosas, mesmo fatais, se afectam crianças, idosos e pessoas com o sistema imunitário debilitado.

O peixe cru, como o sushi e o sashimi japoneses, é uma especialidade gastronómica em muitos países. Mas isso não os torna seguros. Mesmo que o peixe tenha sido congelado a temperaturas inferiores a —18°C para destruir potenciais parasitas, a congelação não mata as bactérias. Apreciadores de sushi, acautelai-vos: a vossa saúde pode estar nas mãos do cozinheiro.

Comer ostras cruas pode significar uma entrada no hospital e, em casos raros, ser mesmo fatal. A causa é uma bactéria vulgar em águas salga-das, a Vibrio vulruficus, que pode provocar febre, dores musculares, pele escura ou avermelhada e uma descida da tensão arterial em pessoas vulneráveis.

A Vibrio vulnificus dá-se melhor em águas mais quentes, por isso as ostras provenientes de regiões frias são potencialmente menos perigosas do que as apanhadas em zonas de águas quentes. Uma maneira de reduzir, mas não de anular, os riscos é seguir a velha regra: «Comer ostras só nos meses com um R», pois são apanhadas nos meses mais frios, de Setembro a Abril.


Comer carne crua intencionalmente, sob a forma de um bife tártaro ou de finas fatias de carpaccio, é menos frequente do que comer carne mal passada sem se saber. Porém, os perigos — de bactérias como a Escherichia coli, a Campylobacter e salmonelas — são os mesmos. Por uma questão de segurança, consuma sempre a carne muito bem cozinhada.

Os ovos crus também podem causar intoxicação por salmonelas. Por isso, muitos restaurantes retiraram das suas ementas pratos com ovos crus. Em casa, siga estas sugestões para se manter bem longe das salmonelas dos ovos:

  • Não compre nem utilize ovos com a casca fendida ou rachada.
  • Utilize os ovos comprados num prazo de três semanas.
  • Quando fizer bolachas ou bolos com ovos, não ceda à tentação de provar a massa crua.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*