Reflexologia

A reflexologia implica a pressão da ponta dos dedos sobre zonas dos pés denominadas «zonas de reflexos» para aliviar dores noutras partes do corpo. Pensa-se que a técnica surgiu na China há mais de 5000 anos. A reflexologia foi reavivada e desenvolvida por Eunice Ingham, uma terapeuta de Nova Iorque, nos anos trinta. Esta descobriu que certas zonas, sobretudo nas plantas dos pés, mas também nas mãos, pareciam corresponder a órgãos e regiões do corpo. A sensibilidade de zonas individuais do pé coincidia com perturbações do órgão correspondente. Dores numa área como a cabeça ou o abdómen podem ser aliviadas trabalhando na zona do pé correspondente. A reflexologia é actualmente muito praticada em conjunto com outras terapias e muitas pessoas aprenderam-na para ajudar familiares e amigos.


O reflexologista usa o polegar e os dedos para estimular os pontos de reflexo. Se a pessoa que recebe tratamento tem um grave problema de saúde, fazer pressão pode por vezes ser bastante doloroso. As sessões de tratamento de reflexologia duram geralmente cerca de uma hora.


Os doentes registam frequentemente que uma sessão com um reflexologista pode, proporcionar um enorme aumento de energia, relaxando ao mesmo tempo o corpo e equilibrando as costas. Por vezes, é possível praticar a técnica em casa, mas os doentes devem aconselhar-se com um especialista antes de tentarem tratar-se sozinhos.

Uma consulta com um reflexologista começa por perguntas pormenorizadas sobre a saúde geral e o estilo de vida da pessoa, bem como por um exame de pés descalços. O tratamento implica uma pressão firme sobre áreas específi­cas dos pés (que nunca deve ser dolorosa). O nú­mero de sessões varia consoante a natureza do problema. Perturbações comuns que têm reagido bem à reflexologia incluem problemas gas­trintestinais, azia, diarreia e síndroma pré-mens­trual.

A reflexologia é mais adequada a perturbações gerais e problemas relacionados com stress do que a estados específicos. É útil para:

  • Enxaquecas
  • Tensão
  • Fadiga
  • Problemas digestivos, como obstipação
  • Dores menstruais

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*