Florais de Bach

Por volta do virar do século, o Dr. Edward Bach (1880-1936), um bacteriologista britânico, médico e homeopata, começou a fazer experiências com re­médios florais, usando-os para tratar determinadas perturbações emocionais, como ansiedade, depres­são e raiva. Estabeleceu teorias de que estes remé­dios florais continham «vibrações» naturais para restaurar a harmonia e a saúde. O Dr. Bach conce­beu 38 remédios florais, desde castanha doce para combater a tristeza, até à vinha para neutralizar uma personalidade com tendências prepotentes.


Um dos métodos que a preparação dos remé­dios florais de Bach implica é o de colocar os ca­pítulos das flores a flutuar em água de nascente com luz solar a incidir directamente durante três horas (para fazer uma réplica do orvalho da flor, que, segundo o Dr. Bach, continha proprie­dades medicinais). Outro método implicava fer­ver os rebentos das flores ou amentilhos (este procedimento é normalmente usado para os re­médios feitos a partir de árvores). Os remédios são então engarrafados em vidros escuros para proteger a sua potência.


Uma dosagem normal consiste em 2 gotas de remédio combinadas com 30 ml de água, sendo ingeridas 4 gotas da mistura resultante quatro vezes por dia. No entanto, para problemas ligeiros, pode juntar-se 2 gotas de cada remédio a um copo de água para ir bebendo alguns goles ao longo do dia. Pode também misturar os remé­dios para tratar problemas específicos, mas mis­turar mais do que cinco ou seis não é considera­do necessário nem adequado.

Para além dos 38 remédios florais de Bach — e de livros e panfletos de instruções sobre o seu uso —, a maior parte das lojas de dietética e far­mácias possuem agora um remédio SOS floral de Bach para «emergências» emocionais, tais como choque súbito. Trata-se de uma combinação de vários remédios. Os remédios florais de Bach não são prejudiciais e não interferem com outros tratamentos medicamentos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*