Quiroprática

Em linhas gerais, a osteopatia e a quiroprática são semelhantes no sentido em que o quiroprático utiliza as mãos para manipular as articulações e vértebras de modo a devolver ao organismo o seu nível de funcionamento óptimo. A quiroprática foi desenvolvida por um americano, o Dr. Daniel David Palmer (1845-1913), por volta do final do século XIX, após ter curado um porteiro local de surdez manipulando a sua coluna.


Dado que a coluna protege uma grande parte do sistema nervoso, se as vértebras ficarem rígidas ou os nervos comprimidos ou «presos», podem surgir problemas em praticamente qualquer parte do corpo. O objetivo do quiroprático é acabar com essa rigidez na coluna e «libertar» os nervos, eliminando o que deu origem a perturbações físicas, tais como ciática, deslocamentos de discos, dores nos ombros e braços, dores lombares, lesões desportivas e enxaquecas.


A primeira consulta de um quiroprático implica não só obter um historial clínico pormenorizado, mas, muitas vezes, fazer radiografias para localizar as zonas problemáticas da coluna. O tratamento implica tipicamente tratar bloqueios físicos na coluna que interfiram com a função nervosa. Uma vez que estes ajustamentos requerem movimentos precisos, devem ser executados apenas por um quiroprático qualificado e não devem ser aplicados se o doente tiver osteoporose, um tumor na coluna, inflamação ou uma fractura óssea recente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*